Cabelo pintado é, no mínimo, um assunto exótico. Desde 1908, quando foi inventada a primeira coloração capilar, os ocidentais usam o artificio para, principalmente, esconder os fios brancos e mostrar menos idade.


Antes disso, civilizações milenares como os chineses e os indianos, dominavam a técnica de tintura de cabelo com o uso de ervas e raízes. Os índios brasileiros também pintavam os cabelos brancos com uma pasta a base de genipapo, que cobre os fios e iguala a cor natural avermelhada pelo sol por até tres meses.


A primeira tentativa bem-sucedida de desenvolver uma tinta que pudesse ser usada com segurança para colorir os cabelos foi realizada em 1909 pelo químico francês Eugène Schueller. Baseando sua fórmula num novo componente químico, a paraphenylenediamine, ele fundou a Fábrica de Tinturas para Cabelos Inofensiva.


Até o final da década de 70, quando os primeiros punks ingleses começaram a exibir seus chocantes moicanos coloridos, pintar os cabelos era coisa só para mulheres e poucos senhores vaidosos. A onda punk se espalhou para o mundo, com suas cristas engomadas com gumex e gliter, onde até pregos eram colados nas pontas das suas cabeças coloridas. Essa moda promete fazer a cabeça da rapaziada no próximo verão.


Atualmente, meninas e meninos na faixa dos 10 aos 16 anos usam tintura como mais um elemento da moda. Introduzida a idéia de cores berrantes pelos punks, as cabeças que vivem a puberdade trazem cores arrojadas: tons de roxo, azul, vermelho, rosa pink e amarelo. No verão 2006, os moicanos voltam com tudo, mesmo que mais discretos. Será recortado nas cabeças das crianças, dos adolescentes e pela sua capacidade de emprestar poder e alongar a expressão do rosto, já está na cabeça das mulheres maduras das grandes metrópoles. Seguindo uma versão mais discreta, com a crista formando asas de pombo que descem pela nuca, em cortes desconectados e tonalizadas pelas combinações de cores sóbrias, como o chocolate, cinza, loiro e champanhe, as novas edições do antigo moicano estão nos salões de beleza internacionais.


No Brasil, as novas cartelas de cores trazem tendências variadas e propõem algumas formas para o corte do verão 2006. O loiro vanilla, pode ser usado com mechas capuccino, que combinadas trazem sensualidade aos cabelos. Para quem gosta de usar cores escuras, as tendências levam cabelos cor de canela com toques de pêssego para brilharem no sol e se destacarem na noite. Para os mais ousados, a mistura do chocolate com mechas em tom pimenta, vai arrasar. Ainda os cabelos repicados com os tons de vermelhos, as mechas mais claras e muitas luzes, voltam com tudo.


Finalmente, cabeças iluminadas podem ser realçadas com tons marrons e dourados sem contraste, uma proposta de cabelo estilo "surf", dando um ar de queimado nas pontas. As mechas em tom de mel, contrastando com outras mais loiras pedindo cortes com fios desconectados, trazem ar selvagem e sensual, nada mais prático para o verão: lavou, secou e luzes, o cabelo está pronto para a festa!


FONTE: Agência Londrix


0
0
0
s2smodern